Medicina do trabalho inicia estudo estatístico de atestados médicos

Definindo estratégias para educação em saúde

A Coordenadoria do setor de Segurança do Trabalho e Assistência a Saúde - Sesmt (Medicina do Trabalho) da Prefeitura de Montes Claros iniciou no mês passado estudo estatístico dos atestados médicos apresentados pelos servidores municipais. Segundo Viviane Gusmão, gerente de Recursos Humanos (RH) da prefeitura, o objetivo é levantar e conhecer as principais causas que provocam o absenteísmo-doença e definir estratégias para minimizar ou prevenir sua incidência.

Entre os anos de 2014 e 2016 o município contava com cerca de 11,5 mil servidores e foram apresentados em média entre 12 e 14 mil atestados por ano, gradativamente. Este ano, até o mês de agosto foram registrados quase 8 mil atestados médicos, uma queda, se comparado com o mesmo período dos anos anteriores.

A partir das informações levantadas os analistas do setor de Medicina do Trabalho elaboram relatório com o comportamento dos principais CIDs registrados e indicam a chefia imediata ações e medidas para serem realizadas em conjunto na tentativa de minimizar ao máximo os danos para o servidor exposto a esses fatores de risco.

Mas o foco principal, disse Bianca Brandão, coordenadora da Medicina do Trabalho e da Casa do Servidor, é a educação em saúde. Ainda segundo Bianca, o setor junto com a Casa do Servidor já iniciou uma série de capacitações para os servidores e neste mês de outubro implantará o programa de educação em saúde, com ênfase principal na prevenção das doenças ocupacionais, mas também na melhoria do ambiente de trabalho e no uso adequado e correto dos Equipamentos de Proteção Individual (EPI).

O Centro de Controle de Zoonoses foi o primeiro a ser analisado, por solicitação da sua coordenação. O objetivo, segundo Flamarion Cardoso, é identificar o perfil das principais doenças e analisar a evolução dos atestados se comparado 2016 e 2017. A enfermeira do trabalho Karine Bicalho e a técnica de segurança do trabalho Gerciane Áurea, vem realizando inspeção de segurança no local e um relatório já está sendo finalizado para ser entregue com os principais problemas encontrados e a definição de prazos para serem corrigidos. Uma capacitação, baseado nos dados já coleados, deverá acontecer no próximo dia 26 com os servidores do CCZ e o relatório final da análise dos principais fatores causadores de afastamentos deverá ser apresentado na segunda quinzena deste mês. (Colaborador)