IMA inicia recadastramento obrigatório de produtores rurais em todo o estado

O Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) inicia hoje campanha de recadastramento dos criadores de bovinos, bubalinos, caprinos, ovinos e equídeos. O recadastramento é obrigatório e deverá ser feito até 29 de dezembro. Para se recadastrar o criador deverá comparecer a uma unidade do IMA e apresentar original e cópia dos documentos pessoais e de comprovante de endereço. O criador que não o fizer estará impedido de transitar com seus animais dentro e fora do estado o que o impedirá, inclusive, de vender animais do seu plantel ou participar de eventos agropecuários. Segundo divulgou o instituto, “o recadastramento está regulamentado em portaria publicada em 16 de setembro. Nele o criador irá confirmar que permanece na atividade e a localização da sua propriedade, entre outros dados. A medida tem o objetivo de regularizar os dados dos criadores junto ao IMA, tendo em vista que muitos produtores deixaram a atividade ou venderam seu rebanho e não comunicaram ao Instituto. Da mesma forma, muitos já faleceram e os familiares não comunicaram esse fato ao IMA”. Ainda segundo o IMA, as duas situações contribuem para que o banco de dados do órgão não esteja fiel à realidade. Atualmente cerca de 400 mil criadores cadastrados em todo o estado, 80% são de bovinos. Para o diretor-geral do IMA Marcílio de Sousa Magalhães, o descompasso entre os dados registrados no IMA e aqueles que constituem a realidade onera financeiramente o Instituto que, muitas vezes, tem custos com deslocamentos para ir pessoalmente nas propriedades desses produtores. Há também custos com o alto índice de notificações de autuações devolvidas ao Instituto. “Essa situação abre brechas para fraudes de todas as ordens, inclusive econômicas, uma vez que pessoas inidôneas de posse dos dados dos produtores podem utilizá-los para transações fraudulentas. Além disso, essa situação restringe a atuação do IMA frente às constantes demandas de ordem sanitária”, destaca. Ainda segundo o diretor, “o recadastramento está alinhado às ações que antecedem a retirada da vacinação do gado contra a febre aftosa no país até 2021, conforme previsto pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). O fim da vacinação vai exigir, entre outros, o aperfeiçoamento das informações dos rebanhos de forma a tornar mais eficaz o estado de alerta previsto nos atendimentos às ocorrências zoosanitárias”, informou. Além de regularizar sua situação junto ao IMA o criador receberá, no recadastramento, uma senha para acesso gratuito ao Portal de Serviços do Produtor Rural, disponível no site da entidade. Por meio do portal, na internet , o produtor tem acesso a vários serviços do Instituto como a emissão de guias e documentos oficiais, sem precisar ir pessoalmente a uma unidade do Instituto. O escritório do IMA em Montes Claros fica na Praça Lindolfo Laughton, 1373. Mais informações podem ser adquiridas por meio do telefone (38) 3215 1150. (AF)