Processo de ocupação do bairro Morada do Parque

Ainda em sua pesquisa, Diego Fonseca constatou que a infraestrutura do bairro Morada do Parque é bem desenvolvida. A qualidade do asfalto é bem razoável, os lugares para passeios são largos e quase todos arborizados; existe, além do Parque Municipal, uma praça (Orpheu Froes) para atividades físicas. O bairro conta com quatro linhas de ônibus, tem uma igreja católica e uma escola pública de ensino fundamental. O que deveria ser mais otimizado é a iluminação noturna, pois há certa escuridão após o entardecer. Outra questão que de certa forma prejudica a qualidade do bairro é a poluição do Rio Vieira, que passa nas imediações do local. Mesmo poluído, o rio tem um valor paisagístico importante para a área, e deveria ser revitalizado.

Quanto às casas da área, são, na maioria, de classe média, mas também podem ser encontradas casas mais simples, caracterizando um ambiente heterogêneo nessa questão. A pesquisa de campo mostra que 74% dos moradores estão satisfeitos com as condições ambientais do bairro, e 93% dos entrevistados o qualificam como uma “ilha de frescor”. Para a maioria dos moradores, o que há de melhor na região estudada é a qualidade ambiental - 62,8%; seguida da infraestrutura do bairro - 18,2%; o preço dos imóveis - 10%, que favorece a especulação imobiliária; e, por último, o status que a área proporciona – 9%, pois há no lugar residências de alto valor.

A pesquisa a campo veio comprovar uma das hipóteses que levaram à realização deste estudo – que há um melhor conforto bioclimático no Morada do Parque por causa das condições ambientais deste espaço urbano. De acordo com seus moradores, o Morada do Parque poderia ser ainda mais cômodo para residir, se houvesse mais estabelecimentos comerciais no lugar. O centro comercial mais próximo fica no bairro Major Prates, localizado a uma distância de 1 km. Segundo a população, os produtos disponíveis no próprio bairro têm seus preços inflacionados pela falta de concorrência, e nem tudo que é procurado é disponibilizado. Estas são as principais queixas dos moradores. Apesar da falta de comércio na área, o centro comercial do Major Prates é bem diversificado e próximo à área em estudo. Somado a isso, os moradores do Morada do Parque são em geral da classe média. Quase todas as residências possuem automóveis, dessa forma, não é difícil para a população se deslocar até o Major Prates ou até mesmo para o centro comercial da cidade. Mesmo havendo certo prejuízo nesta questão, por outro lado, a população tem como benefício a maior tranquilidade que aqueles que moram em lugares comercialmente mais abarrotados. (GA)