Produtores sem atendimento por falta de contrato com Emater

Os pequenos produtores rurais de Montes Claros estão sem assistência técnica para exercerem suas funções, pois, mais uma vez, a Prefeitura de Montes Claros não assinou o contrato com a empresa pública mineira da área, a Emater. O contrato acabou em 22 de janeiro e ainda não foi renovado. A mesma situação ocorreu em 2015 e 2016, gerando muita polêmica com o então prefeito Ruy Muniz.

A sede da Emater em Montes Claros (Foto: Girleno Alencar)

A assessoria da Secretaria Municipal da Agricultura afirma que foi celebrado o acordo com a Emater e a demora foi por causa dos valores, pois a pretensão era aumentar para valores que fugiam a realidade atual do município. A expectativa é que o contrato seja assinado ainda na semana que vem, pois dependia apenas da assessoria jurídica.

A superintendente regional da Emater, Maria de Lourdes Leopoldo, explica que no dia 22 de janeiro encerrou o contrato e na semana passada foi celebrado o acordo, depois da discussão financeira. Porém, ocorreram dois problemas: a Prefeitura se recusou a pagar os meses de fevereiro, março e abril, assim como reduziu o valor, para R$ 25 mil. Como principal consequência, em vez de seis profissionais para atender aos produtores, ficarão apenas três técnicos. “Não vamos questionar a situação, pois compreendemos a situação de crise financeira. Porém, é importante lembrar que para cada R$ 1,00 liberado, a Emater dá retorno de R$ 28,00”, explica a superintendente.

Ela explica que a proposta inicial seria de R$ 38 mil, como ocorreu no ano passado. Nesse contrato, a Emater executa vários serviços, o Garantia Safra, Seguro Agrícola, Brasil Sem Miséria, Pronaf, Declaração de Aptidão do Produtor, Assistência as Associações Comunitárias, Programa de Aquisição a Alimentação, Programa Nacional de Alimentação Escolar, além de vários outros projetos que envolvem mais de 25 mil produtores de Montes Claros.