Janaúba faz remanejamento na saúde e população reclama

A Secretaria Municipal de Saúde realizou  um remanejamento de funcionários que atuam nos postos de saúde na cidade, em situação que desagradou grande parte dos usuários do SUS, que reclamam da piora do atendimento. Os auxiliares de enfermagem e alguns enfermeiros estão sendo colocados em postos diferentes do que vinham atuando no ano passado. O prefeito Carlos Isaildon Mendes  explica que  a mudança ocorre para que esses postos  tenham sanadas algumas carências e com isso  ganhem mais eficiência no atendimento.

A sede da Secretaria de Saúde (Foto: Divulgação)

Os moradores atendidos nos  postos de bairros Novo Paraíso, Rio Novo e  Residencial Dona Lindu demonstraram insatisfação e pediram a permanência dos  funcionários que vinham atendendo em suas unidades. Segundo alguns desses moradores,  se  for necessário poderão ocorrer  manifestações para sensibilizar a Secretaria de Saúde a manter esses   funcionários nos locais onde atuavam. O prefeito Carlos Isaildon também disse  que promoverá o mais breve possível reuniões nessas comunidades para explicar as razões  das mudanças que estão sendo realizadas.

No seu primeiro ato administrativo,  o prefeito Carlos Isaildon Mendes  criou uma Comissão Especial para em 20 dias apresentar o diagnóstico completo da situação financeira, fiscal, administrativa e contábil do município. Ele decretou  que o prédio da Prefeitura de Janaúba ficasse fechado para atendimento ao público na segunda-feira, dia 2, e terça-feira, dia 3 de janeiro, justamente os dois primeiros dias de gestão, sem comprometer o desenvolvimento administrativo interno.  Em seguida e ao considerar o grave momento de crise financeira em todo o país causando a redução da arrecadação habitual, situação também encontrada na Prefeitura, ele decretou Calamidade Financeira e Administrativa pelo período de 90 dias e que pode ser prorrogada por mais 90 dias.

Também contingenciou a nomeação de 20% dos cargos comissionados, ressalvados os de secretários municipais. Outras medidas adotadas foram anular as gratificações, suspensão da concessão de férias prêmio e das horas extras, durante o período de validade desse decreto. No documento consta que todo contrato temporário de prestação de serviço terá que ter a autorização do prefeito. Em outro decreto, o prefeito Carlos Isaildon alerta os servidores que se encontram em desvio de função a comparecer na secretaria municipal correspondente ao seu cargo de origem ou então na secretaria de Administração, até  dia 6.