Vereador exige que municipalidade garanta reforma de escola em Pedra Preta

O vereador Marcos Nem (PSD), que faz parte da bancada ruralista, disse que o homem do campo está vivendo momentos difíceis com a falta de estradas, médico, dentista e, agora, a falta de transporte escolar está deixando fora das salas de aulas alunos que não tem condições ir para as salas de aula.

Vereador Marcos Nem (PSD) (Foto: Ascom/Câmara)

O parlamentar disse que a administração atual tem uma dívida com o homem do campo e, para que ele possa trabalhar e viver em paz, é necessário se ter o mínimo necessário que tem faltado. Marcos disse que vive os problemas do homem do campo por viver dele e conviver diariamente com as dificuldades dos companheiros que estão experimentando o abandono e ele pede que o prefeito Humberto Souto (PPS) honre o que prometeu ao homem do campo, e melhore as condições de vida, começando pela Escola de Pedra Preta, que, segundo técnicos da administração passada, já está condenada pela Defesa Civil e hoje não tem condições para que os alunos e profissionais possam trabalhar e estudar em paz.

“Os moradores de Pedra Preta e da região estão apreensivos e os pais não querem ver os seus filhos continuar a entrar num ônibus e andar por uma hora dentro de um ônibus para estudar em outra localidade que é Ermidinha. É preciso que atual administração dê uma ordem de serviço para o prédio seja reformado e que os alunos possam voltar a estudar próximo de suas casas. Chega de sofrimento, pois o homem do campo não merece ser tratado com tanto descaso, pois é preciso que priorize as melhorias prometidas no tempo da campanha eleitora.”

Disse ainda o parlamentar que tem tido paciência e entendido que nos primeiros meses o prefeito precisou de tempo para arrumar a casa, mas que agora o povo precisa das obras e das melhorias de condições. “O homem do campo vive na roça porque gosta, mas ele precisa ter as condições mínimas e eu fui eleito para representar esse povo valente, mas sofrido que tem que lutar todos os dias para se ter um pouco do que a vida oferece e o poder público tem que fazer sua parte e estou aqui para cobrar”, finalizou.