Deputado mineiro acredita que reforma trabalhista será aprovada

Coluna Em dia com a Notícia


Deputado Fabio Ramalho (PMDB-MG) (Foto: Ananda Pimentel)

Se os prognósticos do vice-presidente da Câmara Federal, Fábio Ramalho, o Fabinho Liderança (PMDB-MG), estiverem certos, a reforma trabalhista será aprovada. Um dos fatores que pesa é o grande número de desempregados. Para ele é preciso garantir o retorno do trabalhador ao mercado. Já a reforma da Previdência, Fábio Ramalho garante que não passa. “Essa reforma nasceu morta. Não adianta mudar nada”. Apesar da afirmação, o presidente Michel Temer tem cedido em vários pontos, inclusive na regra de 49 anos para o teto de aposentadoria. O relator da proposta, Arthur Maia, defende alterar o tempo de contribuição para 40 anos. A grande vitória foi a aprovação do requerimento de urgência na votação e isso ganha prioridade.

 

Futuro incerto cala líderes partidários

Um silêncio constrangedor se instala nos principais partidos políticos brasileiros, com reflexos nos diretórios estaduais. Em Minas Gerais, deputados federais dão como certa a publicação de mais nomes envolvidos em irregularidades. As repercussões nas candidaturas nos estados também são aguardadas, mas poucos devem escapar da Justiça. Com esse quadro de incertezas, ninguém arrisca traçar um cenário para as eleições no estado no ano que vem. Culpados ou inocentes, até que se prove o contrário, o estrago à imagem já está feito e recuperá-la será uma tarefa difícil, até mesmo para os que estão acostumados a manipular a opinião pública.

 

Lula monitorava ‘propinoduto’ do PT desde 2010

Marcelo Odebrecht criou sistema de “contrapartida” para se certificar de que seu principal interlocutor no PT antes de 2011, Antônio Palocci, falava de fato em nome de Lula. Ele pedia ao pai, Emílio, para informar a Lula sobre propinas já pagas ao PT, totalizações e valores que só a Odebrecht tinha. Em 2010 pediu que o pai informasse a Lula sobre o total ao PT: R$ 200 milhões. Palocci mencionou o valor numa conversa posterior; era a prova de que seu interlocutor falava em nome de Lula. Além de Emílio, o ex-executivo Alexandrino Alencar era usado para fazer a “ponte” com Lula, que monitorava o propinoduto. A delação de Marcelo Odebrecht reforçou no Ministério Público Federal que Lula era mesmo o “comandante máximo” ou chefe da quadrilha.

 

Maia afirma que abertura de inquérito vai comprovar que citações na Lava Jato são falsas

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, afirmou que o inquérito pedido pelo Supremo Tribunal Federal (STF), no âmbito na investigação da Operação Lava Jato, vai comprovar que são falsas as citações de delatores a ele e que os inquéritos serão arquivados. “Eu confio na Justiça e vou continuar confiando sempre. O Ministério Público e a Justiça vão fazer o seu trabalho de forma competente, e cabe ao Congresso cumprir seu papel institucional de legislar. Há separação dos poderes”, disse o presidente em entrevista após sessão do Plenário.

 

Tarcísio deve substituir Luciana Lóssio no TSE

O presidente Michel Temer deve nomear o advogado Tarcísio Vieira de Carvalho Neto para a vaga da ministra Luciana Lóssio, no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O mandato dela se encerrará no dia 5. Ele foi o primeiro colocado na lista tríplice definida pelos ministros do Supremo Tribunal Federal. Ministro substituto no TSE desde fevereiro de 2014, Tarcísio é um dos advogados eleitoralistas mais admirados do País. O futuro ministro Tarcísio é o mais antigo da classe de advogados no TSE. Ele foi assessor do ministro Marco Aurélio no STF durante anos. Como o ministro Admar Gonzaga, que assumiu a vaga de Henrique Neves, Tarcísio é o que está há mais tempo na condição de substituto.