Parlamento jovem discute impactos da greve nas escolas

Os impactos da greve nas escolas públicas foram discutidos em Montes Claros, durante reunião da Escola do Legislativo com a coordenação estadual do programa Parlamento Jovem de Minas 2017, que, em Montes Claros, envolveu os representantes de Capelinha, Ibiracatu, Itamarandiba, Montes Claros e Taiobeiras. A coordenadora estadual do projeto, Marta Parker, explicou que a greve deflagrada na rede pública prejudicou as propostas de trabalho, com a situação se agravando quando se observa que tem localidades distantes 300 quilômetros de Montes Claros, como Capelinha e Itamarandiba, que são do Vale do Jequitinhonha.

A visita da coordenadora da ALMG (Foto: Divulgação)

No relatório das atividades, a coordenação entende que os resultados individuais são otimistas, principalmente pela forma criada pelo Polo Regional, que criou o Grupo de WhatsApp para facilitar a troca de experiências e dificuldades.  A visita da coordenação estadual acontecerá nos 12 polos regionais do projeto. É o momento de correção de rumos e de ajustes nas atividades antes das plenárias municipais que vão eleger propostas sobre o tema desta 14ª edição: educação política nas escolas. Durante as visitas, que são parte da etapa municipal do projeto, equipes da PUC Minas e da ALMG acompanham a implementação das atividades e buscam fortalecer o conceito de regionalização.

CAMARA MIRIM | No próximo dia 30 será implantado o projeto Câmara Mirim, que dará posse a 48 alunos das escolas municipais Neide Melo Franco e Sebastião Mendes, além das escolas estaduais Carlos Albuquerque e Helena Prates, na faixa etária de 10 a 13 anos, que a cada 15 dias se reunirão e discutirão vários assuntos de interesse da comunidade, aprovando requerimentos e propondo projetos. Desde a década de 90 que Montes Claros criou o Projeto Vereador Mirim. A partir de 2014 foi criado o projeto Câmara Mirim.