Cotec retira livro da lista do Paes e gera protestos

Uma polêmica está agitando os meios educacionais e culturais de Montes Claros: a Comissão Técnica de Concursos da Universidade Estadual de Montes Claros excluiu o livro de crônica “Ler-se-r”, do professor Márcio Morais, da lista de obras literárias para o Vestibular Seriado deste ano. Isso está gerando polêmica, inclusive com a publicação do Manifesto de Apoio ao escritor, ontem de manhã. A alegação é que  a obra foi suprimida sem que houvesse uma justificativa oficial da universidade. Nos bastidores, a alegação é que o autor trabalha em colégio de pré-vestibular e isso beneficiaria os alunos do seu educandário. O jornal GAZETA pediu informações aos dirigentes da Cotec, que ficaram de responder aos questionamentos, mas isso ainda não ocorreu até o fechamento dessa edição.

A Unimontes publicou na terça-feira a retificação na relação das obras indicadas para a 3ª etapa do Programa de Avaliação Seriada (PAES 2017), suprimindo o livro de crônicas do escritor Márcio Adriano Moraes, professor de Literatura do Colégio Sólido e do Colégio Tiradentes, previsto na primeira lista divulgada pela universidade no último dia 2 de maio. No site da Comissão Técnica de Concursos (Cotec), que realiza o processo, não foi esclarecida a substituição. Em seu lugar, foi indicado o livro "Sinestecia versus vida", do escritor Edson Andrade. Em carta aberta publicada em seu site pessoal o professor Márcio Moraes relata que um dos motivos a ele alegado para a exclusão de sua obra estaria ligado ao fato de ser professor de Pré-Vestibular.

Os manifestantes não entendem a posição da Cotec, pois no ano passado a obra “O lado de dentro das coisas”, da professora Karla Celene Campos, do Colégio Prisma, foi indicado para o PAES e nem por isso sofreu qualquer restrição. O Colégio Sólido se solidariza com o escritor e professor Márcio Moraes e afirma que sugerir que a indicação do livro do autor, e também professor, privilegiaria seus alunos é desconhecer que uma obra literária fala por si e não depende exclusivamente da análise de quem a escreveu.  Alerta que muitos candidatos adquiriram o livro indicado e  agora amargam o prejuízo financeiro. (Foto: Girleno Alencar)