Consumidor precisa estar atento às ‘armadilhas’ da Black Friday

Falta apenas uma semana para o dia de evento promocional mais movimentado do mundo. A Black Friday (sexta-feira negra, em tradução livre) já étradição nos Estados Unidos. Este ano a megaliquidação acontece no dia 25 novembro, com o objetivo de renovar os estoques para o Natal. O dia de promoções chegou ao Brasil em 2010, contudo, muitos consumidores reclamam que aqui no país, muitas das promoções não são verdadeiras. É como se algumas lojas "maquiassem" os preços para simular descontos nos produtos.

Mesmo com as reclamações, em 2015, o evento quebrou recorde, totalizando mais de R$ 1,5 bilhão em vendas em todo o país. E registrou acréscimo de 57% na comparação com 2014. Os pedidos realizados superaram os 3,1 milhões, com o tíquete médio ficando em R$ 492. Dessa forma, a cada ano, a expectativa de movimentação durante a Black Friday é crescente no Brasil, o que mantém os empresários com boas expectativas de vendas.

Para Glenn Andrade, presidente do Sindcomércio de Montes Claros, a data já faz parte das campanhas promocionais do comércio da cidade, sendo importante a adesão e empenho do empresário, para contribuir com o aumento real das vendas. Segundo Glenn, o empresário deve aproveitar a campanha para criar promoções, lançar novos produtos e oferecer diferenciais aos seus clientes, e ainda preparar sua equipe para melhor atendimento. “Estas atitudes poderão ser decisivas para a retomada dos lucros, uma vez que estamos diante de um aumento do índice de confiança do comércio e da estabilidade na intenção do consumo das famílias”, afirma.

Com tanto empenho por parte do comércio, a data pode ser uma grande oportunidade para comprar com preços em conta, mas o consumidor precisa estar atento ao risco de cair em alguma ‘armadilha’ e acabar levando ‘gato por lebre’.  Por isso, pesquisar antes de fechar negócio, é fundamental.

O diretor do Procon em Montes Claros, Leandro Aguiar, destaca que o primeiro cuidado que o cliente precisa ter é identificar se os produtos estão realmente com preço mais em conta. “O consumidor precisa verificar se a loja aproveitou da data, para anunciar a mercadoria como promoção, usando os preços semelhantes aos colocados antes do período, ou se elevaram o preço do produto dias antes para passar a impressão de que houve desconto”, salienta. Aguiar reforça que esse tipo de prática é crime. “Essa ‘maquiagem de preços’, é considerada publicidade enganosa. O estabelecimento que adotá-la pode ser penalizado” afirma.

Ainda de acordo com o diretor, uma maneira simples de identificar se os produtos estão de fato em promoção, “é fazer uma pequena lista do que se pretende comprar e pesquisar os preços em pelo menos três lugares diferentes com o máximo de antecedência”, fala.

O Procon também reforça que os direitos de garantias da Black Friday, devem ser os mesmos dos dias comuns de compras. “Se o desconto for muito alto, é bom observar se as mercadorias não são peças de mostruário ou encalhadas e se as caixas estão de fato lacradas”, alerta.

O sucesso da Black Friday também é muito grande nas lojas online. Muita gente prefere fazer as compras do conforto do lar, escolhendo as mercadorias com preços em descontos pela internet. Mas, nesse caso, o cuidado tem que ser ainda maior. “É preciso verificar a idoneidade da empresa, se a loja realmente existe. Para isso, basta verificar se ela possui endereço físico e canal de relacionamento com o consumidor. E é fundamental prestar atenção ao prazo de entrega”, fala Leandro Aguiar.

 

Evite o endividamento

Tantas ofertas disponíveis podem ser um prato cheio para alguns consumidores saírem do controle, e acabarem entrando no vermelho. Mesmo que as ofertas sejam reais, o bom mesmo é não exagerar nas compras para não exceder o orçamento e acabar se endividando. (Foto: Divulgação)