Caixa prolonga greve e clientes causam tumulto dentro de agência em Montes Claros

Após 31 dias de paralisação, bancários de todos os 26 Estados, e o Distrito Federal, já decidiram na tarde desta quinta-feira (6) encerrar a greve da categoria.  Muitas agências voltaram a funcionar nesta sexta-feira (7). Com exceção de algumas agências da Caixa Econômica Federal.  Funcionários do banco rejeitaram a proposta em capitais de ao menos sete Estados do país.

A terceira oferta apresentada pela Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), na noite de quarta-feira foi de reajuste de 8% em 2016 e abono de R$ 3.500. A proposta também inclui aumento de 10% no vale refeição e no auxílio-creche e de 15% no vale alimentação. Os bancos também se comprometeram a garantir aumento real de 1% em todos os salários e demais verbas.

Muitos clientes foram até as unidades da Caixa, na manhã desta sexta (Foto: Girleno Alencar)

Em Montes Claros, as agências da Caixa ainda estavam fechadas ou com o atendimento reduzido. Sem saber desta informação, muitos clientes foram até as unidades da Caixa, na manhã desta sexta, e formaram até fila para serem atendidos. A resposta negativa para a fim da greve, deixou algumas pessoas indignadas. Houve princípio de tumulto e a polícia precisou ser acionada.

Segundo os militares a confusão ocorreu, porque alguns clientes estavam entrando na agência bancária para tentar atendimento, e outros foram barrados pela segurança. Depois da chegada da polícia a situação foi normalizada. Mas um grande número de pessoas ainda insistiu em ficar dentro da agência.

“No rádio e na TV foi anunciado que hoje os bancos voltariam a funcionar, por isso estou aqui. Preciso pagar boletos que já estão em atraso há dias e fazer o pagamento dos meus funcionários”, reclamou o empresário Fábio Júnior Pereira.

Jorge Augusto também esperava orientação por parte de funcionários da agência central da Caixa. Ele teve problemas para sacar o FGTS com cartão e precisava atualizar dados para ter acesso ao benefício. “Cheguei cedo à agência, e me disseram que hoje seria impossível me atender”, lamentou.

A confusão ocorreu, porque alguns clientes estavam entrando na
agência bancária para tentar atendimento, e outros foram barrados
pela segurança (Foto: Andréia Santos)

De acordo com o presidente do Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários de Montes Claros e região, Luiz Carlos Rocha Caldeira, a caixa prolongou a greve, porque os funcionários não estavam de acordo com a cláusula que determina que o acordo com bancos tenha validade de dois anos. E que para 2017, os salários serão reajustados pela inflação (INPC/IBGE), mais 1% de aumento real. “O bancários não acharam o acordo com Fenaban suficiente. Mas uma nova reunião foi realizada na manhã de hoje, e os funcionários das agências da Caixa em Montes Claros e região, já voltaram a trabalhar. Na segunda-feira (10) tudo estará normalizado”, falou.

Ainda de acordo com Luiz Carlos, das 124 agências do Norte de Minas,  81 tiveram os serviços afetados durante os 31 dias de greve, mastodas as agências já voltaram a funcionar.

 

Greve nacional mais longa

A greve deste ano superou a 2004, primeiro ano em que os bancários se uniram em paralisação para negociarem melhores condições para a categoria e que tinha sido a mais longa até então, com duração de 30 dias, de acordo com a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT). A greve de 2015 durou 21 dias.
A ação afetou os serviços bancários em todo o país, pois algumas situações não podiam ser resolvidas em canais de autoatendimento e outros meios alternativos.

Na quarta-feira (5) 13.123 agências e 43 centros administrativos ficaram fechados segundo a Contraf, o correspondente a 55% dos locais de trabalho em todo o país. O dia em que foi registrado o maior número de agências fechadas foi 27 de setembro, quando 13.449 paralisaram os serviços.