Moc reassume regulação hospitalar depois de 26 meses

O Estado deliberou que a partir de 15 de setembro, Montes Claros assuma a regulação

A Prefeitura de Montes Claros reassume, nesta sexta-feira, a regulação hospitalar de Montes Claros, depois de 26 meses sob controle do Estado, mas com uma polêmica: os municípios do Norte de Minas querem garantir que as Consultas, de atendimento especializado, sejam asseguradas para os pacientes da região onde os municípios indicaram Montes Claros como referência. O alerta foi feito ontem de manhã, pelo presidente regional do Colegiado dos Secretários Municipais de Saúde (Cosems-Norte), Edvaldo Farias, durante reunião da Comissão Interpartite Regional Ampliada de Saúde (CIRA), realizada no auditório do Hospital Universitário, com os 87 secretários municipais.

Desde o dia 15 de julho passado que o Estado publicou a resolução, adiando para abril de 2018 o retorno da gestão hospitalar à Prefeitura de Montes Claros, em contrato de R$300 milhões para atender os pacientes dos 86 municípios. Nessa resolução, o Estado deliberou que a partir de 15 de setembro, Montes Claros assuma a regulação, ou seja, faça o cronograma de atendimento da média e alta complexidade. O Estado repassará os funcionários da regulação ao município, bancando essa despesa. Na semana passada ocorreu o primeiro intercambio entre o Estado e município.

O Estado assumiu a gestão hospitalar de Montes Claros desde julho de 2015, depois que o então prefeito Ruy Muniz se recusou a repassar os recursos liberados pelo Ministério da Saúde aos hospitais que atendem pelo SUS. No dia 18 de abril de 2016 ele foi preso por ordem da Justiça Federal,  acusado de inviabilizar os hospitais para justificar a criação do Hospital da Funorte. Na reunião de ontem o presidente regional do Cosems-Norte, Edvaldo Farias pediu à secretária municipal de Saúde de Montes Claros, Dulce Pimenta, uma reunião com todos os municípios, pois quer saber como ficará as consultas especializadas W, que estão em bom funcionamento. (GA)