Atenção para o uso de fungicidas

Coluna Notícias do Campo


O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) suspendeu a recomendação de uso no Brasil de 63 fungicidas utilizados no controle da ferrugem asiática (Phakopsora pachyrhizi) na cultura da soja. A medida foi publicada no Diário Oficial da União (Ato 71), em dezembro de 2016. A decisão prevê a exclusão da recomendação de controle da ferrugem asiática da bula dos produtos listados abaixo em até 90 dias, contados, a partir de 16 de dezembro 2016.

 

Commodities

No mês passado, o segmento agropecuário (carne de boi, algodão, óleo de soja, trigo, açúcar, milho, café, arroz e carne de porco) registrou queda de 1,24%. O segmento de energia (petróleo, gás natural e carvão) subiu 9,95%, no mês e 6,48%, no ano. Os metais (alumínio, minério de ferro, cobre, estanho, zinco, chumbo e níquel) tiveram alta de 2,24%, em dezembro e de 19,52%, em 2016.

 

Sead publica lista de 13 produtos com bônus para financiamentos do Pronaf

A Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (Sead) publicou no Diário Oficial da União desta terça-feira (10/01) uma lista com 13 produtos contemplados pelo Programa de Garantia Preços para a Agricultura Familiar (PGPAF). Os preços de mercado e o bônus de desconto referem-se ao mês de dezembro e têm validade para o período de 10 de janeiro a 09 de fevereiro. Desta vez, o PGPAF contemplou o açaí (fruto), babaçu (amêndoa), batata, borracha natural, cacau (amêndoa), cará/inhame, cebola, leite, manga, raiz de mandioca, sorgo trigo, triticale (híbrido de trigo + centeio) para os estados do Acre, Amazonas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Pará, Paraná, Piauí, Santa Catarina, São Paulo e Tocantins.

 

Unimontes intensifica pesquisa sobre geração de energia solar na região 

(Foto: Ascom/Unimontes)

A miniusina de captação de energia solar – fotovoltaica –, instalada no campus-sede da Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes) no primeiro semestre de 2016, vem sendo aproveitada para pesquisa sobre a busca da eficiência no setor. Conforme o planejamento, a miniusina fotovoltaica foi implantada a partir de parceria entre a Unimontes e a Cemig. Sob a coordenação do curso de Engenharia Civil, o projeto recebeu investimentos da ordem de R$ 70 mil da universidade e cerca de R$ 50 mil da Cemig, que forneceu as placas de captação de energia solar – paineis fotovoltaicos. A Unimontes foi o primeiro órgão público do Norte de Minas a instalar um sistema de captação de energia solar.